Sobre o Coral Tanus

Pode-se dizer que o cerne do Coral Tanus teve início com o próprio Maestro Tanus quando ainda jovem, que sonhava em trabalhar no Theatro Municipal de SP – e assim, não poupou esforços e estudos para que isso acontecesse. Suas aulas exigiam um deslocamento semanal ao Rio de Janeiro para poder ser lecionado por Iberê Gomes Grosso, um dos principais violoncelistas do Brasil. O contato com Iberê fez com que surgisse a oportunidade ao Maestro de ter em suas aulas a ilustre presença de ilustres personalidades da nossa música, como Vinícius de Moraes e Tom Jobim.

Sua gratidão a seu professor foi tão grande, que posteriormente, o Maestro Tanus concedeu seu nome a seu segundo filho, Iberê Tanus.

Os estudos do Maestro foram complementados na FUNARTE – USP (ECA), e então, por meio de concurso (um primeiro lugar com louvor), conseguiu realizar seu sonho de finalmente trabalhar no Theatro Municipal. Em 1972, foi um dos músicos fundadores da filarmônica de São Paulo, e primeiro violoncelista da OSESP.

Os 35 anos no Theatro Municipal proporcionaram ao Maestro incríveis experiências, tais como ter Eleazar de Carvalho, Diogo Pacheco, Isaac Karabtchevsky e Júlio Medaglia como mentores. Também pôde fazer acompanhamento e gravações (em violoncelo) para grandes artistas, como o Tenor José Carreras, o Maestro e Pianista João Carlos Martins, Roberto Carlos, Tom Jobim, Milton Nascimento, Elis Regina e etc.

Em agosto de 1973, o jovem casal Jaime e Ivone decidiu que iria se casar, e para a celebração queriam músicos especiais e de primeira linha. Foi então que decidiram ir até o Theatro Municipal, onde conheceram o Maestro Tanus e o convidaram para ser o responsável pela música desse momento tão especial.

Em 27 de março de 1974, às 20:00 horas, aconteceu então a primeira apresentação oficial do Coral Tanus, sendo que hoje, já são mais de 16 mil por todo o Brasil.

O tempo foi passando, e com ele o Coral foi adquirindo mais experiência e ganhando corpo. Foram acrescentados um Tenor Solista (voz masculina) e posteriormente um Soprano Solista (voz feminina) para cantar a “Ave Maria”, que até então era executada apenas por instrumentos.Em meados de 1979, o foi inaugurado o primeiro escritório do Coral para facilitar o atendimento dos noivos. Ele ficava nas proximidades do Theatro Municipal, e foi ponto fundamental para poder alçar novos patamares.

O Maestro Tanus também demonstrou ser um homem de extrema e fortúnio visão ao ser o dono de criações de muito sucesso. Violonistas em trajes de gala acompanhando “Damas de Honra”, O uso do Clarim e da Harpa dourada, o uso de campanas em arranjos de música para casamentos e etc.

Para estar sempre aprimorando-se e acompanhando as novidades, à partir de 2008 o Coral tomou a decisão de a cada 2 anos, sempre trocar todas as caixas acústicas, cabos, acessórios e teclados. Assim, a qualidade de som nunca deixa de seguir o mesmo padrão de rigidez do início

Em 2014 foram comemorados 40 anos do Coral Tanus, e para comemorar essa ocasião, houve um encontro entre o primeiro casal e o de número 14 mil a terem seus casamentos celebrados pela equipe. É uma história longeva e de muito sucesso, que com muito empenho, resignação e talento atravessou gerações sendo sinônimo de tradição no meio musical. E podem ter certeza que isso é só o começo.

Tradição que vem de berço

Maestro Tanus

Maestro

Alberto Tanus

gerente

Iberê Tanus

musico

Filha Tanus

musico

Agende agora mesmo e tenha a tradição do Coral Tanus no seu evento!